O Mestrado Profissional em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local tem a proposta de formar profissionais que atendam necessidades sociais e demandas de políticas, programas, planos e projetos de desenvolvimento local, mediante o aperfeiçoamento de conhecimentos, metodologias e recursos de tecnologia social, que representem efetivas soluções, especialmente nos campos da educação e gestão social. Proposta única pelo pioneirismo, originalidade e consistência. Busca equilibrar erudição e criatividade, interagir formação teórica e prática. Coloca-se aberto à contextualização, à interação social e à valorização dos conhecimentos da prática, a serem potencializados mediante o emprego de métodos didáticos participativos e cooperativos.


Print This Page

Resoluções do Colegiado

EXAME DE QUALIFICAÇÃO

No Programa de Pós-Graduação em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local, o exame de qualificação tem objetivos de avaliação pedagógica do nível de formação e amadurecimento científico e do grau de preparo do discente para a elaboração do seu trabalho de conclusão de curso. Toma-se, para isso, o projeto de dissertação como mediação e referência.

Como avaliação pedagógica, o exame de qualificação objetiva, fundamentalmente, contribuir para a formação do aluno. Não tem, portanto, caráter punitivo ou recriminador. Por ter caráter formativo, analisam-se aspectos de conteúdo e de forma dentro dos rigores acadêmicos de praxe. Na parte formal, avaliam-se a correção do português; a clareza, inteligibilidade, coerência e coesão do texto, o emprego das normas da ABNT. Na parte do conteúdo, avaliam-se a fundamentação teórica e a estratégia metodológica. Portanto, não se trata de uma conversa simples. Tem o seu rigor. Isso, contudo, não significa punir ou recriminar. Significa educar, formar pesquisadores de fato.

Cabe à banca elogiar e reforçar as escolhas do aluno se assim o considerar pertinente. Mas, cabe-lhe também apontar problemas e insuficiências, apresentar idéias e sugestões de redefinição teórico-metodológica. O aluno tem toda a liberdade para fazer suas defesas se não concordar com os examinadores. Mas, para isto, é preciso que seja convincente, que saiba bem o que quer fazer e como o deseja fazer. É necessário que ele esteja bem fundamentado do ponto de vista conceitual e metodológico, que saiba se expressar corretamente nas formas escrita e oral.

Trata-se de um exame formal, um rito de passagem importantíssimo que não pode ser banalizado. É um momento de grande importância para a formação do aluno e o aperfeiçoamento de seu projeto.

O exame pode ser assistido por outros alunos e professores do programa. Cabe ao orientador coordenar os trabalhos. A sessão transcorre da seguinte forma:

  1. o aluno pode utilizar até 30 minutos para apresentar seu projeto;
  2. cada membro da banca tem até 30 minutos para apresentar suas contribuições e o aluno o mesmo tempo para comentá-las;
  3. o orientador e o orientando podem utilizar, em conjunto, até 30 minutos para, ao final, fazer uma avaliação do exame realizado.

O exame é, portanto, uma etapa importante do processo de orientação do aluno, pois ele recebe outras contribuições para o aperfeiçoamento do seu projeto.

A banca deverá considerar para a atribuição do conceito (qualificado / não qualificado), o depoimento do orientador sobre o nível de envolvimento do aluno com a pesquisa e seu crescimento como pesquisador desde o início no programa; a qualidade do projeto apresentado; a capacidade do aluno de dialogar com a banca, face às contribuições apresentadas; as potencialidades do aluno para cumprir as etapas a serem desenvolvidas para a conclusão da dissertação.

No caso do aluno não ser qualificado, o orientador deverá solicitar ao Colegiado do Programa a realização de novo exame de qualificação.

Cabe ao Colegiado do Programa aprovar a data, o horário, a banca do exame e analisar situações que requeiram atenção particular. A comissão examinadora é composta por dois professores do Programa e presidida pelo orientador. Excepcionalmente um dos professores poderá ser membro de outra instituição de ensino. O projeto deve seguir as especificações contidas no Manual de Qualificação adotado pelo Programa. O prazo para a qualificação será de nove meses após o início do curso e o não cumprimento desse interstício será objeto de análise e de encaminhamentos pelo Colegiado.

Após a aprovação pela Comissão Examinadora, o aluno deverá cadastrar seu projeto de pesquisa e intervenção na Plataforma Brasil, para fins de aprovação por Comitê de Ética em Pesquisa.

 PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS DERIVADOS DE DISSERTAÇÕES

O Colegiado do Programa em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local do Centro Universitário UNA, em reunião ordinária ocorrida no dia 30 de abril de 2011, examinou ponto de pauta sobre publicação de artigos derivados de dissertações e deliberou o seguinte:

  1. Fica mantida a necessidade de apresentação de aceite de periódico de artigo derivado de dissertação como requisito parcial à emissão de diplomas;
  2. O atendimento desta exigência passa a ter o valor de um crédito e integrar a matriz curricular do Mestrado;
  3. A coautoria com orientadores é obrigatória, mas admite-se exceção a ser analisada e aprovada pelo Colegiado do Programa;
  4. Foi delegada aos orientadores a definição sobre a que periódicos deverão ser submetidos os artigos;
  5. Os orientadores deverão decidir sempre em favor da melhor escolha possível;
  6. A melhor escolha possível é entendida como o resultado da combinação dos quesitos relativos às expectativas dos alunos, dos orientadores e do Programa e às oportunidades encontradas dentre as opções editoriais disponíveis;
  7. O resultado desta análise poderá levar à definição por periódicos que tenham outra classificação diferente de B1 e B2;
  8. Esta definição deverá, contudo, ser tomada com base na lista de periódicos da Área Interdisciplinar do Sistema Qualis da Capes.

CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS A MESTRANDOS:

  1. Classificação obtida no processo de seleção ao Programa.
  2. Não receber nenhuma forma de remuneração ou bolsa (salários, vencimentos quando em licença, ser proprietário ou sócio de empresas etc).
  3. Ter disponibilidade integral ao Programa.
  4. Apresentar bom rendimento acadêmico e não ter reprovação nas disciplinas já cursadas.
  5. Apresentar produção acadêmica diferenciada, participando ativamente dos grupos de pesquisas existentes no Programa.
  6. Possuir necessidades sociais comprovadas, que justifiquem a concessão.
  7.  Ser proveniente de outras localidades geográficas e residir em Belo Horizonte.

Comitê de Ética em Pesquisa – CEP

O Colegiado do Mestrado em GSEDL deliberou que os projetos de pesquisa de alunos devem ser submetidos ao CEP/UNA logo após aprovação em exame de qualificação.

Se o projeto tiver sido aprovado pelo CEP de outra instituição, não é necessário enviá-lo ao CEP/UNA desde que o da outra instituição esteja devidamente registrado na Comissão Nacional de Ética em Pesquisa – CONEP (http://conselho.saude.gov.br/Web_comissoes/conep/index.html).

Os documentos necessários à apreciação dos projetos devem ser protocolados com até 15 dias de antecedência da reunião mensal na secretaria do CEP, localizada no 4º andar do Campus Guajajaras e aberta de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h. Para entrar em contato com o CEP/UNA, envie mensagem (cephumanos@una.br) ou telefone (3508-9110 / 3508-9108).

Dois procedimentos são necessários:

1º) O/a orientador/a deve cadastrar a folha de rosto do projeto no Sisnep (Sistema Nacional de Informação sobre Ética em Pesquisa envolvendo Seres Humanos). Para tanto, clicar em http://portal2.saude.gov.br/sisnep/pesquisador/. Depois, clicar em “Registre seu projeto” na barra do superior do site. Ao chegar à página http://portal2.saude.gov.br/sisnep/pesquisador/menu_principal.cfm, as orientações necessárias e o local para entrar no Sisnep serão encontrados.

2º) Levar a secretaria do CEP/UNA os documentos solicitados.

No ato de registro no CEP, a secretária fará uma análise da documentação apresentada e recusará a abertura de processos se houver documentação faltante ou inadequada. Os projetos são analisados na reunião subseqüente à data deste registro.

Para informações detalhadas, entre na página http://www.una.br/institucional/comite-de-etica-em-pesquisa-37 e acesse todos os links para que tenha o conjunto das informações necessárias.

Faça o download

DECLARAÇÃO DE ALUNO PARA FINS DE DEPÓSITO E DEFESA DE DISSERTAÇÃO

AUTORIZAÇÃO PARA O ALUNO APRESENTAR DISSERTAÇÃO DE MESTRADO